Uma família na fé em Cristo Jesus

DESPEDIDAS

Era o início da Paixão. Prestes a enfrentar seu momento mais difícil, após a singular última Ceia, o Senhor Jesus entristeceu seus discípulos ao falar-lhes que não mais o veriam por algum tempo. O Deus Homem lavara os pés aos discípulos, dando-lhes o grande exemplo de humildade no momento mais íntimo entre eles, após três anos de intensa e profunda convivência. Um verdadeiro discípulo jamais pode ser indiferente à despedida do seu mestre, ainda que temporária. Quanto maior for seu afeto, maior será o seu sofrimento. Mas como a mulher que não se lembra da aflição ao dar à luz, pois nasceu o seu menino, Deus transformou seu choro de tristeza em alegria: Jesus ressuscitou dos mortos e trouxe aos seus uma alegria que ninguém nunca lhes tiraria. O Senhor vive!

Era a sua última viagem missionária, não faltaria muito para o apóstolo Paulo ser preso, quando se despediu definitivamente dos presbíteros da igreja de Éfeso, pois ele sabia que eles não mais o veriam enquanto peregrinos. Não muito tempo antes, Paulo havia ficado mais de dois anos seguidos com eles, ensinando e pregando, servindo ao Senhor até com lágrimas pelos sofrimentos. Paulo ainda viajaria e sofreria mais um pouco até ser levado preso em Roma, onde então escreveria aos irmãos de Éfeso que tem ouvido a fé que há entre eles no Senhor Jesus e o amor que eles têm para com todos os santos. A sofrida despedida resultou no avanço do Reino de Deus em vários lugares, até Roma, no amadurecimento da fé e do amor dos irmãos efésios. O Senhor reina!

Hoje é o seu último dia como nosso pastor. Um dia histórico em nossa comunidade de santos. Celebraremos batismo, Ceia e nos despediremos do nosso amado Pr. Judiclay, que não irá para longe e, ainda que não mais víssemos o seu rosto, o Senhor nos conforta com a esperançosa verdade de que a despedida entre irmãos é sempre temporária. Querendo Deus, veremo-lo novamente outras vezes, mas após quase treze anos de dedicação integral a nós, chorando e alegrando-se conosco, vivendo num só corpo as mesmas lutas, derrotas e vitórias, sofrimentos e indizíveis alegrias, o coração aperta, a garganta dá nó, afinal, apesar de nós, o Senhor tem nos ensinado a amarmos uns aos outros. Haverá um dia em que a Igreja invisível, a família da fé se unirá presencialmente, sem manchas, rugas e pecados, limpa, pura e imaculada, pelo sangue de Jesus Cristo, para todo o sempre. O Senhor voltará!

Portanto, meus irmãos, honrem a quem tem honra enquanto se está vivo. Ah, se todos soubessem a diferença entre dar glória a Deus e honrar as pessoas! Não é sem motivo que, dos cinco maiores arrependimentos no leito de morte, dois são a falta de coragem para expressar os sentimentos e não ter mantido contato com os amigos. Declarem seu amor, afeto e gratidão. Chorem, mas se alegrem! Grandes e muitas coisas fez o Senhor por nós sob o pastoreio de seu servo e muitas ainda fará. Vivamos o maravilhoso presente que é o histórico dia de hoje, que o Senhor nos dá.

A ti, Pastor Judiclay, a nossa profunda e imutável gratidão e os nossos entranháveis afetos de amor até a eternidade.

Nilton Moura

Comentário

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X
X
X