Uma família na fé em Cristo Jesus

LEMBRA-TE DE JESUS CRISTO: Trazendo à memória o fundamento da esperança

Por Pr. Judiclay Santos

O apóstolo Paulo era um homem experimentado. Sua jornada foi marcada por intensas lutas, mas em todas recebeu graça e venceu. Um dos motivos pelos quais escreve a Timóteo, seu filho na fé, é encorajá-lo para enfrentar corretamente as dificuldades que estava enfrentando. É curioso notar o tipo de encorajamento que Timóteo recebeu. “Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado de entre os mortos, descendente de Davi, segundo o meu evangelho.” (2 Tm 2.8). Esse encorajamento soa estranho em uma cultura dominada pelo espírito da autoajuda. Observe que Paulo não recomenda a Timóteo olhar para si mesmo, considerar as suas habilidades e potenciais para superar os problemas. Jesus Cristo é o foco do encorajamento de Paulo. Lembra-te de Jesus Cristo!

Por que Timóteo é exortado a lembrar-se de Jesus Cristo? Somos, por natureza, pessoas que sofrem um tipo de amnésia espiritual. Esquecemo-nos com muita facilidade as obras de Deus em nosso favor. A Páscoa foi instituída como um memorial da redenção, a fim de que o povo de Israel jamais se esquecesse do seu Redentor. Por essa mesma razão, o Senhor instituiu a Santa Ceia, em memória dele. Paulo começa com o verbo anamnese: lembra-te! A igreja precisa ouvir essa santa exortação, pois tem sido continuamente tentada a se esquecer de Jesus. Quando isso acontece, ela se perde nos labirintos desse mundo tenebroso.

O apóstolo Paulo faz duas grandes afirmações sobre Jesus Cristo que fazem toda diferença. São verdades que afetam o modo de pensar e agir da igreja. Primeiro, “Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado de entre os mortos“. Lembrar-se da ressurreição é trazer à memória três outras maravilhosas verdades:

1) ELE MORREU POR NOSSOS PECADOS – A ressurreição, antes de tudo, aponta para o fato de que ele morreu por nossos pecados. Como fiel pregador do evangelho, Paulo pregava e ensinava a morte e a ressurreição de Jesus: “Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras”. (1 Co 15.3,4). Timóteo deveria pensar na morte de Cristo como a maior prova do amor de Deus e ser leal até o fim àquele que nos amou e por nós quis morrer.

2) ELE ESTÁ VIVO E PRESENTE – Jesus Cristo ressuscitou. Ele está vivo. O apóstolo Pedro, em seu primeiro sermão depois do derramamento do Espírito Santo em Pentecostes, disse: “(…) vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos; ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; (Atos 2.22b-22a). Curioso notar o fato de que o verbo aqui denota, não apenas o fato de que Ele está vivo, mas enfatiza a presença do ressurreto. Portanto, não é apenas saber que Ele ressuscitou, mas conhecê-lo como alguém vivo e presente.

3) ELE É DEUS – A ressurreição de Jesus confirma a sua divindade. O Deus Filho se fez carne e habitou entre nós, morreu e foi sepultado, mas ressurgiu como havia prometido. Ele veio a esse mundo em uma missão redentora. Se fez homem para morrer e sendo Deus ressurgiu dos mortos. “Matastes o Autor da vida, a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, do que nós somos testemunhas“. (Atos 3.15). A ressurreição de Jesus é o atestado da sua divindade e a certidão de nascimento da igreja.

Lembra-te de Jesus Cristo! Que o Redentor esteja sempre vivo em nossa memória.

Comentário

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X
X
X